Dança do Leão

14 posts

Encerramento do Ano Novo Chinês

A Dança do Leão de Emei Shan esteve ontem no Templo Fo Go Shan para participar das Festividades da Cerimônia dos Mil Budas e Encerramento da Festa de Ano Novo Chinês.

Depois da realização da Cerimônia dos Mil Budas, deu-se início as festividades com um delicioso almoço de confraternização oferecido pelo Templo a todos os presentes. Logo após, a Dança do Leão de Emei Shan iniciou sua apresentação com o Leão desejando prosperidade ao Templo e todos os presentes.

Entre brincadeiras de adivinhações, muito comum na cultura chinesa, foram realizadas apresentações de música, dança e Tai Chi Chuan.

A Lenda que deu início ao Ano Novo Chinês

Pibl_141026092129_1

O ano novo Chinês em 2017 começa hoje (28/01). Mas lá, as comemorações são diferentes das do Ocidente. Na verdade, na China, as festividades começam nessa data e continuam por 14 dias, até que no 15 dia acontece o Festival da Lanterna, que é quando a primeira lua cheia do ano brilha esplendorosa no céu.

A esses 15 dias de festividades, damos o nome de Festival de Nián (年节,Nián Jié) que significa Ano ou Ano Novo.

Mas você sabe como isso tudo começou por lá? Ah… É claro que existe outra lenda por trás de tudo isso!

A LENDA DE NIÁN

Conta a lenda que havia uma besta gigante chamada Nián, com corpo de boi e cabeça de leão, que morava no mar, mas que por apenas um dia do ano, no início da primavera, vinha a uma aldeia chinesa e engolia de uma só vez, seres humanos, gado e tudo que encontrava pela frente. Ano após ano ele voltava, e ano após ano, as pessoas da aldeia entregavam as suas crianças para serem devoradas.

Certo dia, cansados e aterrorizados, decidiram deixar de apresentar essa terrível oferenda e pediram ajuda aos monges para livrarem-se do tormento. Descobriram então que Nián não gostava de ruídos altos e cores vivas. Organizaram-se e pintaram as portas das casas de vermelho. Também fizeram fogueiras de bambus que estouravam no fogo, para que fizesse bastante barulho.

Quando Nián retornou para buscar suas oferendas, todos começaram a bater em panelas e gongos, fazendo bastante barulho e assim conseguiram afugentar a besta. Todos os anos, no início da primavera, repetiam tudo de novo para que a besta nunca mais voltasse.

Esse se tornou então o Dia de Nián ou Ano Novo. Essa lenda também pode ser considerada como o início da Dança do Leão nesse período, mas essa é outra história.

Gostou dessa lenda também? Compartilhe!

(Por Cristina Kawka)

Feliz Ano Novo do Galo de Fogo!!!

Episode+034+-+2017+-+Year+of+the+Fire+RoosterHoje inicia-se oficialmente pelo calendário lunar, o Ano Novo Chinês. Diz-se “chinês”, mas este calendário é seguido em várias nações no oriente.

Este é o décimo ano de um ciclo de doze e cada ano corresponde a um animal (rato, boi, tigre, coelho, dragão, cobra, cavalo, cabra, macaco, galo, cachorro, porco). 2017 será o Ano do Galo (aquele que arrumou a jangada para atravessar o rio para a festa de Buda e levou consigo o macaco e a cabra) com o elemento Fogo.

Ok, e como é essa história de elementos? Vamos resumir. Os cinco elementos do horóscopo chinês são Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água. Juntos eles formam um ciclo contínuo de transformação. Ah, estão vendo só como TUDO, absolutamente tudo para os chineses, tem uma explicação e uma razão de ser? Quer ver só?

A Madeira é nutrida pela Terra que retém a Água, que apaga o Fogo, que funde o Metal, que corta a Madeira. Um ciclo perfeito que atua sobre nós num período de 02 em 02 anos. Por isso tivemos a Cabra de Fogo e agora o Galo de Fogo. Depois será a vez do Cachorro e o Porco de Terra e assim por diante. Legal, não?

Então, cada ano é governado por um dos 12 animais e por um dos 05 elementos. Assim, o ciclo se encerra em 60 anos e a data é muito comemorada pelos orientais, pois dá-se início a uma nova repetição de animais e elementos. Então que está comemorando 60 anos, como o Grão-mestre Osmar Lannes do Instituto, passou por esse ciclo de 12 animais e 05 elementos.

Mas não acaba aí. Existem dois tipos de elementos: Os elementos que agiam no ano em que nascemos e os elementos fixos de cada animal. Dos elementos fixos, o Fogo é elemento fixo da Cobra e do Cavalo. Metal é do Macaco e do Galo. Madeira é do Tigre, Coelho e Dragão. Terra é do Boi, Cabra e Cachorro. Água é do Rato é do Porco. As características destes elementos fixos, são somadas as dos elementos que agiam no ano que nascemos. Por exemplo um Galo de Fogo, traz consigo a personalidade de Fogo e Metal.

E como será o Ano do Galo de Fogo? O Galo de Fogo é destemido e nos ajudará a não temer as mudanças. Será um ano repleto de oportunidades, ideias novas e escolhas decisivas, mas pense duas vezes antes optar. Não se precipite, porque o Galo é impulsivo. Será um ano de muitos convites também. Prepare sua agenda para vários! Não se assuste de do nada resolver fazer coisas que nunca lhe passaram pela cabeça antes. Este ano elas podem passar a lhe parecer interessantes.

Que 2017 seja um ano de muito trabalho. Que assim como o galo, “madruguemos para o trabalho”, mas que isso nos traga frutos doces e apenas alegrias e prosperidade.

FELIZ ANO NOVO do GALO DE FOGO para todos!

Você conhece a lenda do horóscopo chinês e os 12 animais?

 

A meu ver, os chineses utilizam-se de uma forma muito inteligente de perpetuar suas tradições, cultura e sua história utilizando-se das lendas. Já reparou que para tudo nessa vida existe uma lenda chinesa para explicar os fatos? Pois bem, e para o surgimento de horóscopo chinês e a escolha dos seus animais não poderia ser diferente.

Conta a lenda que a muitos anos atrás, Buda resolveu organizar um banquete de ano novo para os animais, para ver quais eram dignos da sua bênção. O banquete de ano novo aconteceria no alto de uma colina, e para chegar até lá era preciso atravessar um rio. Os primeiros 12 animais receberiam um presente.

A outra versão que conta que quem promoveu a corrida foi o Imperador de Jade, grande deus senhor dos céus da mitologia chinesa. O Imperador celebrava seu aniversário, mas não tinha certeza da idade que tinha, pois não existia uma maneira de contar os anos. Por isso, decidiu criar um método: enviou uma mensagem à Terra, anunciando que haveria uma corrida. Os doze primeiros animais que atravessassem um poderoso rio, ganhariam um prêmio.

No dia seguinte, o gato e o rato foram correndo até o rio. Quando viram que ele era muito forte e perigoso, sentaram-se pra pensar em como fariam para atravessar. Nisso, chega o boi, que recebe uma proposta do rato:

– Boi, você se importaria de nos carregar através do rio? Eu sou pequeno e o gato tem medo de água – disse ele.

O boi, muito bondoso, concordou, e os dois subiram em suas costas.

No meio do caminho, o rato empurrou o gato na água, que foi arrastado pela correnteza, de volta para a margem de partida. Por esse motivo, gatos caçam ratos até hoje, como vingança.

Quando o boi e o rato estavam se aproximando da margem de chegada, o rato deu um grande pulo na frente do boi, chegando primeiro que ele.

– Parabéns! – disse o Imperador ao rato
– Seu prêmio é esse: o primeiro ano terá seu nome.

O boi ficou muito bravo com a traição do rato, mas ganhou o prêmio de ter o segundo ano batizado com seu nome.

O terceiro animal a chegar foi o tigre, que havia nadado bravamente. O Imperador elogiou seus esforços e deu seu nome ao terceiro ano. O quarto animal foi o coelho. Todos acharam que ele havia trapaceado, pois coelhos não sabem nadar.

– Eu não nadei. – explicou o coelho – Fui saltando de pedra em pedra, e depois naveguei em cima de um tronco.

O Imperador ficou impressionado, e deu-lhe o nome do quarto ano.

Até aquele momento, todos estavam intrigados com o fato do dragão ainda não ter chegado. Podendo nadar e também voar, ele poderia ter sido o primeiro, facilmente. Nesse instante, o dragão desce do céu.

-Tive que parar para ajudar uma cidade incendiada. Depois, encontrei um coelho em cima de um tronco, no rio, e parei para criar vento com as minhas asas, para que ele pudesse atravessar.

Os atos de bondade do dragão foram muito bem vistos, e ele ficou com o nome do quinto ano.

Logo mais, os animais viram o cavalo, que nadava com muito esforço para chegar à outra margem. Ninguém viu a cobra, que se rastejava por baixo para tentar alcançar o outro lado. Quando o cavalo a viu, tomou um susto, e ela acabou chegando primeiro, ganhando o sexto ano. O cavalo ficou em sétimo lugar, mas ficou feliz e muito satisfeito.

Então, apareceu algo fantástico: uma jangada levava um galo, um macaco e uma cabra. O galo arranjara o barco, e a cabra e o macaco iam à frente, tirando os galhos do rio para que pudessem navegar. O Imperador elogiou o trabalho em equipe e deu o oitavo ano à cabra, o nono ano ao macaco e o décimo ao galo.

O décimo primeiro animal foi o cachorro, que estava muito feliz por nadar num rio tão fresquinho. Por último, o porco chegou, e o Imperador soou a trombeta, anunciando o fim da corrida.

– Parabéns a todos os animais que conseguiram atravessar o rio, hoje. Seus nomes serão lembrados para sempre, devido a seus fantásticos esforços.

Por isso, até hoje, os anos chineses são contados pelos animais, nessa ordem: rato, boi, tigre, coelho, dragão, cobra, cavalo, cabra, macaco, galo, cachorro e porco.

Gostou? Compartilhe e continue a perpetuar essa lenda!

Por: Cristina Kawka – Diretora Cultural do ICES