Diretoria

Diretoria Técnica

 

MtOsmar

Grão Mestre Osmar Lannes Barroso

 

Presidente:– Grão Mestre Osmar Lannes Barroso

Nascido em Niterói – RJ, no ano de 1957, iniciou seu aprendizado na arte marcial de Shaolin em 1967, pelas mãos do  Mestre Hu Hsin Shan  que passou a residir na cidade do Rio de Janeiro, após migrar para o Brasil e pelo Monge Shi Te Kuan,

Recebeu o grau de Mestre no ano de 1977, quando dominou os 18 estilos de animais, as 22 armas tradicionais (longas, curtas e articuladas), os 8 Deuses (ou Imortais) e os 4 elementos da natureza (Terra, Água, Fogo e Ar).

O Grão Mestre Osmar Lannes ensina a “Arte Marcial de Emei Shan” desde 1974; e fundou, em São Gonçalo – RJ, no ano de 1992, a Associação Shaolin de Artes Marciais.

Além de ter sido orientado na prática do Kung Fu  e do Tai Chi Chuan pelos Mestres Hu Hsin Shan e Shi Te Kuan, o Grão Mestre Osmar Lannes honradamente, estudou Tai Chi Chuan com o Mestre “Dr.” Wu Chao Hsiang, no Rio de Janeiro, e com o Mestre Liu Pai Lin, na cidade de São Paulo.

O Mestre desenvolveu, ao longo de sua trajetória ligada a prática do Kung Fu e do Tai Chi Chuan, diversas atividades, onde destaca-se:

Filiado as entidades:

  • International Taoist T’ai Chi Society
  • Confederação Brasileira de Kung Fu / WuShu
  • Federação de Tai Chi Chuan do Estado do Rio de Janeiro 
  • UCKF – União Carioca de Kung Fu
  • UBKF – União Brasileira de Kung Fu
  • Liga Gonçalense de Desportos

  O Grão Mestre Osmar Lannes é Arbitro internacional de Wu Shu e Kuo Shu pela Word Traditional Chineses Sports Federation.

Também já desenvolveu pela Federação de Kung Fu do Estado do Rio de Janeiro as seguintes atividades:

  • Ex delegado regional da Federação de Kung Fu do Estado do Rio de Janeiro;
  • Ex membro do Conselho Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva da Federação de Kung Fu do Estado do Rio de Janeiro.

 Atualmente o Grão Mestre Osmar Lannes ministra cursos de Tai Chi Chuan e Chi Kung de Harmonização, bem como as atividades relativas à presidência do Instituto Cultural Emei Shan.

 


 

20150823130158(8) - Copia

Professor Alexandre Martins

 

 

Vice-presidente:– Professor Alexandre Martins

 

Professor de Tai Chi Chuan, Alexandre Martins, nascido em São Gonçalo no ano de 1967, Economista e Advogado, pratica Artes Marciais desde a mais tenra idade. Começou a lutar Judô em 1976, aos 9 anos de idade, e em 1981, ingressou no Tae Kwon Do, com o Mestre coreano Woo Jae Lee, introdutor dessa técnica de luta no Rio de Janeiro e posteriormente com o faixa-preta 5º Dan João Henrique Sobrinho.

Mas foi em 1998, quando conheceu o Grão Mestre Osmar Lannes Barroso que encontrou no Kung Fu Estilo Emei Shan e no Tai Chi Chuan, o equilíbrio necessário entre força e leveza, pressão e suavidade; entre a velocidade e tranqüilidade, que tornam o praticante dessas Artes Marciais de origem chinesa pessoa de temperamento dócil, mas com extrema capacidade de concentração e capaz de reagir rápido e tranquilamente em situações de pressão.

Paralelamente às suas atividades profissionais, o Professor Alexandre Martins, ensina Tai Chi Chuan nas Associações filiadas ao Instituto Cultural Emei Shan, instituição a qual é o seu Vice Presidente e Secretário e cujo objetivo é difundir, no Brasil, não só a cultura e a filosofia de Shaolin e das Artes Marciais Chinesas, mas também outras manifestações culturais daquele povo, tais como: a Caligrafia, a Língua, a Filosofia, Terapias Alternativas e manifestações da Cultura Popular, como a Dança do Leão e a Dança do Dragão.

O Professor Alexandre Martins, por intermédio do Instituto Cultural Emei Shan, é filiado a Federação de Tai Chi Chuan do Estado do Rio de Janeiro e participa com seus alunos dos eventos demonstrativos e campeonatos promovidos pela Federação. Também é filiado a WCTA – Word Chen Xiaowang Taijiquan Association, entidade criada para difundir a prática do Estilo Chen de Tai Chi Chuan, que conta com filiais no Brasil (WCTA-Br) e em todo o mundo.


Entrevista concedida pelo Grão Mestre Osmar Lannes Barroso, em pelos 47 anos de Kung Fu, comemorados em 2014. Parabéns, Mestre Osmar Lannes Barroso por todo seu esforço e dedicação em buscar o conhecimento e o dividir com todos que quiseram e querem aprender e assim dar continuidade a tradição do Kung Fu Emei Shan.

1

ICES – Hoje (18/07/2014) o Senhor comemora  47 anos de Kung Fu. Como foi que tudo começou?

Mestre Osmar Comecei no Kung Fu há exatos 47 anos, no dia 18 de julho de 1967. Eu tinha 9 anos, era uma criança muito brigona e de personalidade difícil. Foi-me recomendado que praticasse artes marciais. Fui levado para o judô, mas não fui aceito por causa de minha constituição física (magro demais). O Sensei então recomendou que fosse praticar uma arte chinesa que estava sendo ensinada por um Mestre no Centro Social Chinês no Rio de Janeiro. E assim após passar por um rito de entrada, comecei minha caminhada no Kung Fu.

ICES – Como foi esse rito?

Mestre Osmar Em uma sala bem grande, pelo que me lembro, estava de pé ao lado de um banquinho. Entrou um senhor chinês, acompanhado por outro garoto, ocidental como eu, e disse (com uma mistura de chinês português) “Espera aqui!”, e foi para outro lugar. Ali fiquei por sei lá quanto tempo, em pé, como cheguei. De vez em quando ele passava e olhava para onde eu estava, e seguia adiante. Depois de muito tempo, ele voltou, olhou para mim e disse “Começa semana que vem!” O outro garoto perguntou para mim, “Por que não sentou no banco?”, eu respondi que ele me mandou esperar aqui, o banco era ali, não aqui. Isso foi o que me aprovou.

ICES – Como era naquele tempo?

Mestre OsmarEra difícil, com nove anos ia para a aula lá no final da Gomes Freire, eu e o outro garoto, que mais tarde chamaria de meu irmão, o Romero Marcondes. Eram aulas duras, levava certa desvantagem física, mas graças a muito esforço, a paciência do meu Mestre, e a amizade sincera do meu irmão, que nunca me deixou desistir, conseguimos, dez anos depois, nos graduar no nosso Estilo.

ICES – Quem foram seus Mestres?

Mestre OsmarMestre Hu Hsin Shan, Mestre Wu Chao Hsiang, Mestre Liu Pai Ling, e o Monge Shi (Fang) Te Kuan.

ICES – Quando o Senhor começou a ensinar?

Mestre Osmar – Em 1974 para três crianças, na minha casa.

ICES – O Senhor esteve na China. Como foi lá?

Mestre Osmar – Foi uma época, ao mesmo tempo dura e maravilhosa. Somente a pouco tempo revelei o tempo que fiquei lá. Passei por várias situações de humilhação e até preconceito, mas tirei o máximo de aprendizado de tudo. Não me arrependo de um segundo. Doei o máximo de mim e recebi em troca um conhecimento que para mim é inestimável. Aprendi a humildade, a responsabilidade, exercitei a tenacidade e a paciência.

ICES – Como foi quando voltou da China?

Mestre Osmar – Mais difícil do que ficar lá (risos). Aqui vi que não podia ser quem eu sou, para não “agredir” o ego de algumas pessoas, que poderiam se sentir “ameaçadas” por mim. E mesmo assim fui taxado de muitos adjetivos, que prefiro não mencionar, por pessoas que simplesmente não se “atreveram” como eu, e algumas compartilhando de proximidade falsa comigo. Quero deixar claro, que o que eu fiz, não foi para atingir ninguém, não me considero melhor que ninguém, não quero o lugar de ninguém nem nenhum pedestal. Fiz o que fiz, porque era o que eu queria fazer, um sonho meu, e com toda a sinceridade, fiz primeiramente para mim.

ICES – Como surgiu o ICES?

Mestre Osmar – O ICES, surgiu em 1991, com o nome de ASSOCIAÇÃO SHAOLIN DE ARTES MARCIAIS,  a primeira Associação de Tai Chi e Kung fu de São Gonçalo, a  pedido de alunos da época, que gostariam de participar de Eventos e competições, e para que a nossa Escola, pudesse atingir a mais pessoas que poderiam aprender o nosso Estilo. Mais tarde passou a se chamar ASSOCIAÇÃO SHAOLIN DE DESPORTOS E TERAPIAS ALTERNATIVAS, e finalmente INSTITUTO CULTURAL EMEI SHAN.

ICES – O que é o Kung Fu para o senhor?

Mestre Osmar – Para mim o Kung Fu é muito mais que uma Arte Marcial, é minha vida, é o que me guia desde os nove anos. Foi o que me deu ou tirou as escolhas da minha vida. É muito mais que ir a um treino, ou ganhar uma medalha, ou usar uma faixa preta ou de qualquer outra cor. É algo que esta tão enraizado em mim, que não vejo mais como seria minha vida sem ele. Me deu muitas alegrias e muitas tristezas, muitos risos e muito choro, muita satisfação e muita dor. Mas hoje, eu e ele somos um só.

ICES – O que o senhor espera para o futuro?

Mestre Osmar – Espero o crescimento e solidificação da Escola, o compromisso de todos os graduados com isso, uma maior participação de todos nas metas do ICES. Não espero uma entrega como a minha, ninguém é igual, ou pensa 100% igual, nem estou aqui para exigir isso ou julgar ninguém. Só quero poder ver os frutos da terra que venho arado a 47 anos. Tive meus erros e meus acertos, mas sei que minha intenção é sempre para o progresso e crescimento da Escola.